Produtores criam Associação das Colônias e melhoram a renda familiar em Castro

April 12, 2016

 

 

Um grupo de produtores da Agricultura Familiar, em Castro, criou, em 2009, a Associação das Colônias cujos produtores são certificados pela Rede Ecovida. A associação desenvolve vários projetos voltados à qualidade de vida e geração de renda. No início eram 12 produtores e hoje o grupo conta com 101 associados. Com a associação formada, os produtores entregam frutas, verduras, temperos, chás aromáticos, entre outros produtos para a merenda escolar do município de Castro, através o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O programa prevê a compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural ou de suas organizações. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) determina que no mínimo 30% do valor repassado aos estados, municípios e Distrito Federal comprem produtos deste segmento. Assim, este programa tem promovido uma importante transformação na alimentação escolar e no campo ao permitir que alimentos saudáveis e com vínculo regional, produzidos diretamente pela agricultura familiar, possam ser consumidos diariamente pelos alunos da rede pública, gerando renda em uma ponta e saúde na outra.
A presidente da Associação das Colônias, Rita de Cassia Goltz, explica que a entidade nasceu em 2009 de maneira informal e foi formalizada com CNPJ somente em 2010. A formalização, segundo ela, foi para atender as requisições do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do governo. A entidade produz desde alimentos até flores que são vendidos na feira, como delivery e para a merenda escolar. “Produzimos vários tipos de plantas medicinais, aromáticas e condimentos. Temos, portanto, erva cidreira, camomila, capim limão, erva doce e funcho. De temperos são plantados sálvia, salsinha, cebolinha, orégano, manjericão e coentro. Todos esses produtos são entregues com qualidade nas escolas e nas casas de muitos consumidores”, descreve a presidente. Segundo ela, as ervas medicinais e chás são produzidos por oito produtores. Além disso, também produzem flores, as quais são vendidas para a Prefeitura de Castro e colocadas nas praças e floreiras do município. “Todas as flores que estão nas praças e em departamentos da prefeitura são produzidas pela agricultura familiar”, afirma. A presidente frisa também a produção de horticultura, frutas, pães, geleias e conservas, todos orgânicos. “A mão de obra de todos esses trabalhos é familiar, exceto no caso da produção de frutas que, em época de colheita, são realizados mutirões ou contratados trabalhadores para atender a demanda”, explica Rita.
Comercialização - A presidente explica que todo o processo de comercialização passa pela Associação das Colônias, que observa todos os requisitos de sanidade e rotulação para atender o consumidor. Os pagamentos são realizados na conta da associação e depois são repassados, conforme a produção. A associação fica com 5% do valor que o produtor vende, para questões administrativas. “Deste valor, 2.3 é usado para o recolhimento do INSS obrigatório de cada produtor. Já o restante, de 2.7, é usado para fins administrativos como: confecção de etiquetas, vigilância sanitária (temos 9 cozinhas comunitárias), pagamento de nutricionista, entre outras despesas. Portanto, é descontado do produtor somente este valor de 5%”, argumenta Rita.
A maior renda da Associação vem da merenda escolar do município de Castro. Só no ano passado foi faturado mais de R$ 600 mil, um valor importante que gera renda ao produtor familiar. Desta forma, o produtor tem uma renda que ajuda a estruturar a sua família e também a associação. "Além disso, tem também a chamada pública para compra de flores que irá atender a área de paisagismo da prefeitura”, salienta a presidente. Os produtos Também são vendidos em feiras e entregues na casa do consumidor através do delivery.
Capacitação - Todo o trabalho de capacitação dos produtores para atender as diversas demandas é realizado pelo SENAR. “Aproveitamos todos os cursos do SENAR em parceria com o Sindicato Rural de Castro. Podemos citar o de panificação, plantas medicinais, flores, horticultura, entre outros. No caso das plantas medicinais, a instrutora incentivou e os produtores começaram a plantar. Mais tarde, estas plantas entraram na chamada pública do município, o que também ajudou a estruturar mais esse segmento dentro da associação”, explica Rita. Este ano vamos iniciar o projeto para a produção de ovos caipira orgânicos. A nossa preocupação, portanto, é oferecer cursos que capacitem o produtor e também mostrem ao jovem que ele pode ficar no campo e ser tão bem remunerado como se estivesse na cidade. Entendemos que nem todos têm a vocação, mas os cursos ajudam o jovem nesta escolha”, destaca a presidente Rita.
Serviço - Para fazer parte da Associação das Colônias é só procurar o Sindicato Rural de Castro - Rua Dr. Romário Martins, 1017, Castro - PR, 84165-010 Telefone:(42) 3232-1813 ou a Secretaria de Agricultura de Castro.

Please reload

Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa