ExpoFrísia 2016 Modernas tecnologias bovinocultura leiteira do Brasil


A edição deste ano da ExpoFrísia, que ocorrerá entre os dias 27 a 29 de abril em Carambeí (PR), vai levar ao público, estimado em 15 mil pessoas entre empresários e interessados no setor, um amplo catálogo dos animais que formam a pecuária leiteira dos Campos Gerais. Focada principalmente na excelência da produção de leite, a feira é organizada pela Frísia Cooperativa Agroindustrial e será realizada em seu próprio Pavilhão de Exposições, onde o visitante poderá também ter acesso às melhores tecnologias empregadas na agricultura e na suinocultura.

Com animais rigorosamente selecionados, a ExpoFrísia reforça a tradição da região como uma das melhores em genética do gado leiteiro. No dia 27 de abril ocorrerá a Abertura Oficial, o Clube de Bezerras, o lançamento do 3º Catálogo de Touros da Intercooperação e palestras técnicas nas áreas de bovinocultura de leite, suinocultura e agricultura, além de palestra motivacional e de mercado. Os dias 28 e 29 estão reservados para os julgamentos das raças “Jersey”, Holandês “Vermelho e Branco” e “Preto e Branco”, que acontecerão na pista do pavilhão de exposições. Além disso, dezenas de expositores irão apresentar novidades de mercado. Outra atração esperada para esta edição será a Festa dos Imigrantes no espaço Museu, que inclui o Parque das Águas, numa área em frente ao Pavilhão de Exposições. Esse projeto sustentável mostra a transposição das águas, como na Holanda com seus moinhos, além de casinhas típicas onde empresas parceiras do Parque Histórico irão expor acervos e mostras.


Cooperativismo e intercooperação


O cooperativismo, sistema responsável pelo crescente aumento de produtividade e pela eficiência na comercialização dos produtos, é um dos focos da ExpoFrísia. O modelo fez da região uma eficiente bacia leiteira e garante a diversificação da produção, moldando-se não apenas no setor lácteo, mas também na industrialização da carne suína e do trigo. A intercooperação garante laços estratégicos e investimentos que viabilizam ao cooperado uma alternativa estruturada para comercialização de sua produção no mercado – nos âmbitos regional, nacional e internacional. Trabalhando juntas, as cooperativas se fortalecem no mercado, ganham escala de produção, aumentam a capacidade de inovação e diversificação dos produtos. A intercooperação na região foi responsável por concentrar fortes investimentos na suinocultura, como a construção da Unidade Industrial de Carnes (UIC), onde é produzida a marca Alegra; no trigo, com o moinho Herança Holandesa, que garante o fornecimento do produto para diversas empresas pelo sistema atacadista; e no leite e derivados, com a marca Colônia Holandesa.


Um pouco da história

A Frísia Cooperativa Agroindustrial completou 90 anos de história em 2015. As primeiras famílias holandesas se fixaram na região dos Campos Gerais em 1911, e uma das primeiras iniciativas de criação de cooperativa de produção surgiu em 1925, com sete sócios e produção de 700 litros de leite por dia, que geravam manteiga e queijo, comercializados em Ponta Grossa, Castro, Curitiba e São Paulo. A união das quatro fabriquetas existentes deu origem à Sociedade Cooperativa Hollandeza de Laticínios, que três anos mais tarde se transformaria na Batavo. A partir de 1943, chegaram novos imigrantes e foi iniciado o processo de mecanização da cultura e de aprimoramento genético, colaborando na expansão da cooperativa. A partir de então, a Batavo Cooperativa Agroindustrial teve como foco a produção agropecuária. Em 2011, retornou à industrialização da produção dos cooperados, com a construção da indústria de leite Frísia. Em 2015, a Batavo mudou de denominação social, passando a se chamar Frísia Cooperativa Agroindustrial.


Paraná se destaca na produção leiteira nacional

A produção de leite, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), totalizou mais de 24,05 bilhões de litros em 2015. A região Sul do país possui as microrregiões mais expressivas, com volume acima de 60 mil litros por quilômetro quadrado ao ano. A região dos Campos Gerais possui uma elevada média de densidade de produção. A produtividade média por vaca ordenhada dos cooperados da Frísia Cooperativa Agroindustrial é de 8.000 litros/ano, número bem superior se comparado com a média nacional, de 1.480 litros anuais. A produção de leite da região está em constante crescimento. De 2012 a 2015, a Frísia aumentou em 40% o volume de leite processado. Hoje a cooperativa processa 500 mil litros de leite por dia, chegando a 15 milhões de litros por mês. A região também é referência em produção e qualidade. As fazendas cooperadas possuem um controle de qualidade de conforto animal e seguem boas práticas de produção, como alimentação balanceada e acompanhamento veterinário e zootécnico. Com todas estas características, Carambeí é palco da ExpoFrísia 2016. A feira tem como objetivo estimular a troca de experiências entre cooperados, empresários e produtores da região, além de apresentar as mais recentes novidades científicas e tecnológicas. Rebanho holandês - Atualmente cerca de 80% dos cooperados da Frísia optam pela raça holandesa, seguida pela raça Jersey, com 5%. A predominância da holandesa, com média de 30 l/dia, reflete na produção local. A raça, conhecida por sua produtividade e lucratividade, é a mais criada em países como Estados Unidos, chegando a 90% da população de vacas leiteiras (Hoard'sDairyman).


Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa