ExpoFrísia 2016 uniu genética, tecnologia e gestão

ExpoFrísia teve palestras técnicas, novidades em genética bovina, exposição de animais, julgamento de raças, estande de máquinas, implementos agrícolas e serviços.

 

A ExpoFrísia 2016 contou com palestras técnicas sobre gestão, mercado, tecnologia e também apresentou o melhor da genética do gado leiteiro das raças Holandesa e Jersey. Passaram pelo evento mais de 15 mil pessoas nos dois dias de feira. O evento também contou com vários estandes de máquinas agrícolas, implementos, serviços e outros equipamentos utilizados na agricultura, cadeia do leite e suinocultura. Uma das atrações do evento foi a palestra sobre métodos de gestão, ministrada pelo Coordenador da Clínica do Leite da Esalq/USP, professor Paulo Machado. Ele expôs sobre o Projeto de Gestão da Fazenda Frísia, implantado na fase inicial por 27 propriedades de cooperados da Frísia. Neste sistema de excelência em gestão, são detectados os pontos de melhoria, juntamente com a implantação do sistema de informação e a capacitação dos gestores. O objetivo é que, nos próximos anos, as ferramentas de gestão sejam implantadas em 100% das propriedades dos cooperados. Machado afirmou que no cenário atual é necessário que as propriedades, já reconhecidas pela qualidade, apresentem índices ainda melhores, com produção do leite com baixa quantidade de células somáticas por mililitros. Quanto menos células somáticas, melhor a qualidade do produto. E o que causa a variação do índice de células é a gestão da propriedade, por meio da padronização dos procedimentos e manejo. E para a melhoria destes números, o fundamental é ter clareza nos objetivos, foco, disciplina e engajamento dos funcionários e colaboradores.
O presidente da cooperativa Frísia, Renato Greidanus, destaca que o evento é importante para que o produtor tenha contato com novas tecnologias e tendências de mercado. “Dessa forma, ajudamos na conscientização do produtor para que tenha gestão em sua propriedade, assim podemos mostrar modelos de sucesso através da nossa assistência técnica. A gestão é uma ferramenta extremamente importante para que qualquer produtor tenha sucesso em sua atividade nas propriedades”, defende. Outro ponto forte, segundo Renato, é que a feira apresenta o que tem de melhor das raças Holandesa e Jersey e isso acaba projetando os Campos Gerais como referência, pois os produtores sempre buscam a excelência, tanto na área genética como de gestão, e assim geram renda e riqueza para o produtor rural.

 

Genética - O julgamento das raças Jersey, Holandês Vermelho e Branco e Holandês Preto e Branco consolidaram a qualidade dos animais dos criadores e expositores dos Campos Gerais. O coordenador de pecuária de leite da Frísia, Jefferson Pagno, destaca que o evento ajuda o produtor a avaliar o nível dos animais, comparando com os demais rebanhos. “O resultado do trabalho de uma década é acompanhado aqui, assim o produtor pode comparar resultados e ver onde precisa aprimorar”, avalia.
O produtor de leite de Carambeí, Raphael Hoogerheide, explica que participa da feira para mostrar e avaliar o que tem feito com seu rebanho do gado Holandês Preto e Branco como também do Vermelho. “Colocamos os animais na pista e podemos comparar com os demais criadores e assim ver como anda o nosso nível em casa. Além disso, a feira mostra o que tem de melhor da tecnologia mundial na cadeia leiteira”, relata.
O produtor Cornélio Jacob Aardoom possui uma propriedade de 82 hectares em Tibagi (PR), com 235 animais, entre eles 120 vacas em fase de lactação. Para ele, a feira ajuda a melhorar o plantel, aperfeiçoar a genética e a se posicionar no mercado. “É uma oportunidade para compararmos o nosso rebanho com os de outros produtores e conferir como podemos nos aperfeiçoar”, explica.
O bom material encontrado no gado de Aardoom – que apresenta uma produção média por vaca de 30 litros de leite por dia, com bons índices de proteína, gordura e células somáticas – é resultado de sua interação com cooperados e com a equipe técnica da Frísia. “A pessoa não ‘se cria’ sozinha, é fundamental a troca de experiências”, comenta o produtor.
Outro criador, Sérgio Chuber, também acredita que a comunicação entre os proprietários resulta no fortalecimento do gado leiteiro da região. Em uma propriedade de 3,4 hectares (onde 2,4 hectares são utilizados para pastagem e o restante para produção de silagem de milho), em Prudentópolis (PR), são criados 28 animais da raça Holandesa, dos quais 12 estão em período de lactação. “Sempre investi em genética. Se eu não tivesse animais de qualidade, não conseguiria obter bons números e me manter”, explica. Em 2015, o produtor, que utiliza o método semiconfinado, entregou para a Frísia o volume de 95.222 litros de leite, atingindo média de produtividade semelhante à de animais criados em confinamento, de 35 litros diários por cabeça.
Expositor - O evento também é uma ótima oportunidade de negócios tanto para concessionárias agrícolas como de serviços. O gerente de vendas da Trator Case, Cesar Antonio Moreira, destaca que há sete anos participa da feira e que o momento é ótimo para os negócios. “Aqui é uma oportunidade especial para divulgar nossas máquinas, dia de negócios, promoções, serviços e mesmo para conversar e atualizar nossos clientes do que tem de melhor no mercado”, relata. Ele destaca que apesar da crise econômica tem fechado bons negócios, pois o produtor sabe que equipamentos com revisão em dia ou novos podem ajudar no rendimento da propriedade.

 

Please reload

Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa

Sindicato Rural de Ponta Grossa - Pr

Tel: (42) 3222-4945