ADAPAR repassa orientações para produtores rurais

December 10, 2016

Na oportunidade foram abordados assuntos como fiscalizações inerentes aos trabalhos da ADAPAR.

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR) conversou com produtores rurais no Sindicato Rural de Castro. A ADAPAR tem por missão realizar a defesa agropecuária e unir esforços na promoção da sanidade agropecuária. Essas ações contribuem para a segurança alimentar e o acesso dos produtores paranaenses aos mercados no Brasil e no exterior e, ao mesmo tempo, beneficia toda a sociedade. Na oportunidade, foram abordados assuntos como fiscalizações inerentes aos trabalhos da ADAPAR, que abrangem conservação de solos, aplicação de defensivos, descarte e guarda de embalagens, documentos e receituário agronômico.
O engenheiro agrônomo e fiscal da ADAPAR, Luiz Antonio Scheuer, explica que o bate papo com lideranças e produtores rurais sobre a fiscalização nas propriedades rurais faz parte de uma ação educativa do órgão. “Muitas vezes o produtor não tem a informação correta sobre as questões que a legislação determina. Porém, é nossa obrigação estarmos atualizados com a legislação e aplicá-la. É importante realizar essa parte educativa e mostrar ao produtor o certo e o errado”, afirma Luiz Antonio. Durante a conversa, ele destaca o uso correto de defensivos agrícolas e o descarte de embalagens. “O produtor deve observar bem o manejo com o defensivo e ler as recomendações do receituário agronômico. Deve ter a nota fiscal do produto na propriedade para mostrar nas fiscalizações. Respeitar as aplicações conforme recomenda o profissional capacitado e também a bula do produto, como distâncias, carências, entre outras”, explica o fiscal.  
O agente da ADAPAR também faz algumas considerações importantes sobre nota e receita de defensivos. “A nota precisa estar junto ao produto para transporte. A receita deve estar com quem vendeu, na revenda ou propriedade rural, isso é determinado pela legislação. Além disso, é observado se as receitas agronômicas conferem com as culturas que o agricultor possui. O endereço da propriedade, local de aplicação e se é o mesmo que consta na receita agronômica. Também se o agricultor possui EPI, se estão em bom estado, se conferem com o que consta na receita e informar se quem utiliza os manuseia corretamente”, descreve. Em relação aos defensivos é observado se os mesmos possuem eficiência e estão devidamente cadastrados. “Quanto aos defensivos e produtos, observamos, na fiscalização, se possuem registro no Ministério da Agricultura, cadastrado na ADAPAR e também se estão devidamente cadastrados parapara a cultura que o agricultor possui e irá utilizar. Além disso, observamos também se os produtos estão com restrição de uso no Paraná para cultura ou alvo que o agricultor está utilizando”, explica o fiscal.
Quanto às notas fiscais, é observado se a empresa que consta na nota fiscal é registrada na ADAPAR como comerciante de defensivos e também se existe o endereço do local para devolução das embalagens vazias, salienta Luiz Antonio.
A armazenagem, tanto do produto cheio quanto do vazio, também é observada na hora da fiscalização. "Olhamos na propriedade se o armazenamento é feito em local trancado e exclusivo, longe de pessoas, animais, casas, alimentos e rações. Fiscalizamos se há embalagens vazias em qualquer lugar, jogadas nos cantos da propriedade, etc. Se não possuir local adequado, o fiscal deve notificar o agricultor para que ele construa um depósito exclusivo e trancado. Outra questão importante também é as sobras dos agrotóxicos. Estas devem ser mantidas nas embalagens originais”, orienta o fiscal. Quanto às embalagens vazias, o agricultor deve devolver corretamente e guardar para efeitos de fiscalização o recibo das últimas devoluções ao posto de recebimento. O armazenamento das embalagens vazias deve ser feito em até no máximo seis meses após a data do prazo de validade.
O produtor rural e membro da diretoria do Sindicato Rural de Castro, João Galvão Prestes, explica que a função do Sindicato Rural é dar apoio e formação ao produtor rural. Aproximar e atualizar o homem do campo é importante. “Uma das missões do Sindicato é orientar, esclarecer o produtor. Portanto, trazer alguém da ADAPAR é, nesse sentido, orientar e dar uma oportunidade para o produtor se inteirar com as novas normas da legislação. Aqui tivemos a oportunidade de fazer perguntas e tirar dúvidas de como armazenar e aplicar os defensivos e outros cuidados referentes tanto aos defensivos como à preservação de solo e água”, diz João Prestes.
Serviço - O endereço da ADAPAR Ponta Grossa R. Nestor Guimarães, 166 - Estrela, Ponta Grossa - PR, 84040-130 - Fone (42) 2102-2744

Please reload

Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa

Sindicato Rural de Ponta Grossa - Pr

Tel: (42) 3222-4945