Fenovinos e Encontro Mercadológico da Carne marcam Ponta Grossa como referência na ovinocultura


O evento será realizado no Centro Agropecuário Municipal de Ponta Grossa e contará com palestrantes internacionais, entre eles o neozelandês e dono da One Stop Ram Shop, Robin Hilson e da Espanha o Prof. Dr. Carlos Sañudo Astiz da UNIZAR – Universidade de Zaragoza.

O município de Ponta Grossa, será o centro da ovinocultura do Paraná entre os dias 17 e 22 de julho de 2017 com a promoção da XXX Fenovinos e 1ª Fenovinos Paraná e do 3º Encontro Mercadológico da Carne. O evento acontece no Centro Agropecuário Municipal de Ponta Grossa. É uma realização da UPEG, Sociedade Rural, Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, ACIPG, Coopergera e Cescage e conta com o apoio do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Arco, Ovinopar, FAEP, SENAR, MAPA, CMRV E BRDE. Os dois eventos se completam. Um por apresentar os melhores exemplares das raças em pista e proporcionar palestras de alto nível com palestrantes internacionais com a presença do neozelandês e dono da One Stop Ram Shop, Robin Hilson e da Espanha o Prof. Dr. Carlos Sañudo Astiz da UNIZAR – Universidade de Zaragoza. Já o segundo evento mostra a prática com visitas em propriedades que são referência no setor. SOBRE A FEIRA - A Fenovinos é uma feira chancelada pela Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO). Criada em 1987 pela ARCO, a Fenovinos tem caráter itinerante e rotativo como forma de prestigiar todas as regiões de Rio Grande do Sul e de outros estados da Federação. Tem como objetivo promover a exposição de ovinos com julgamentos em pistas, progênies de pai e mãe e realização do ranking paranaense. Por ser uma feira rotativa, a eleição da cidade a sediar a próxima edição é feita por votação no final de cada feira, com direito a voto todos os expositores de ovinos presentes no evento, sempre com anuência da ARCO. A primeira Fenovinos que foi realizada fora do Rio Grande do Sul, foi em Ponta Grossa com a 22ª edição no ano de 2010, que reuniu cabanheiros expositores do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso.

Agora, em 2017, o evento retorna ao Paraná em Ponta Grossa e também leva o nome de 1ª Fenovinos Paraná para dar continuidade no Paraná deste relevante evento da ovinocultura brasileira e deve seguir os mesmos moldes, ou seja, no final do evento espera-se eleger uma cidade paranaense para realizar a 2ª Fenovinos Paraná. Um dos coordenadores do evento e gerente da Fazenda Escola da UEPG, professor Izaltino Cordeiro dos Santos, acredita que a Fenovinos é um marco para o fomento e organização para a criação de ovinos nos Campos Gerais e no Paraná. “A Fenovinos será o marco do fomento da indústria da Ovinocultura nos Campos Gerais e uma referência para o estado do Paraná. Pois, Ponta Grossa passará a ser o polo de negócios da ovinocultura paranaense, atraindo investidores e investimentos na produção e comercialização em todos os segmentos da atividade. ”, almeja o professor. Ele anuncia que o evento conta com a participação de quatro associações de raças. "A 1ª Fenovinos Paraná se tornará a sede de uma das maiores feiras do Brasil. Temos a expectativa de absorver em torno de 6000 ovinos das raças Texel, Texel Naturalmente Coloridos, Ile de France, Suffolk, Santa Inês, Dorper, White Dorper e Poll Dorset. São oito raças desenvolvidas e bem adaptadas para produção de carne com qualidade na indústria.”, revela. Em relação à participação, o evento já tem confirmado a presença de cabanhas importantes e de diversas associações de raças. “Estimamos uma participação entre 15 a 20 cabanhas, principalmente dos estados do Sul, com probabilidade de participação da região Sudeste e Nordeste também. Juntamente com os promotores do evento XXX Fenovinos e 1ª Fenovinos Paraná, a Arco – Associação Brasileira de Criadores de Ovinos e Ovinopar – Associação Paranaense de Criadores de Ovinos, estão empenhadas em realizar os julgamentos em pistas, provas, progênies e ranking das raças e das cabanhas.”, calcula Izaltino. ENCONTRO DA CARNE - O 3º Encontro Mercadológico da Carne pretende apresentar aos produtores de ovinos e bovinos, algumas das inovações tecnológicas. “A proposta deste Rally da Carne é mostrar algumas tecnologias que podem ser utilizadas, visando melhorar a eficiência e sustentabilidade nos segmentos da agroindústria da carne ovina e bovina. ”, revela Izaltino. Ele cita como exemplo a elaboração de programas de melhoramento genético e sua utilização junto aos sistemas de produção integrados que envolvem grãos, leite, carne e madeira. São exemplos práticos de alto potencial que são realizados na região dos Campos Gerais. Assim, o Rally da Carne ovina e bovina pretende levar os participantes para conhecer cabanhas modelos da região e em sistemas integrados de produção na área de gado. “Portanto esse tour pretende promover a troca de experiências e interação entre os produtores, técnicos e indústria. ”, espera o professor Izaltino.


Palestrantes internacionais partilham experiência sobre criação de ovinos

Uma presença muito esperada é o maior criador de ovinos da Nova Zelândia e dono da One Stop Ram Shop, Robin Hilson. O palestrante falará sobre o segmento da indústria da carne ovina daquele país.


O ciclo de palestras dentro da Fenovinos pretende compartilhar conhecimento e mostrar experiências que acontecem em outros países e outros lugares do Brasil. O encontro também terá a palestra do zootecnista e chefe executivo da CordeiroBiz, Rafael dos Santos, que irá abordar o Sistema Operacional Customizado em Ovinocultura. Uma presença muito esperada é a do maior criador de ovinos da Nova Zelândia e dono da One Stop Ram Shop, Robin Hilson. O palestrante falará sobre o segmento da indústria da carne ovina daquele país. Segundo o professor Izaltino, a ideia da palestra é apresentar os princípios de gestão aos produtores do Brasil na “indústria dos ovinos”, como trabalham as fazendas de ovinos da Nova Zelândia. “Além disso, queremos considerar todos os aspectos da indústria, das pastagens cultivadas e fornecer um foco para o uso das forrageiras. Promover o desenvolvimento de processadores e comercialização da carne ovina. Trabalhar com desenvolvimento da indústria, tendências no processamento e porque ocorrem. ”, explica o professor. Outro assunto que será abordado na palestra de Robin é sobre o manejo de ovinos. “O Robin irá falar sobre Preparação das ovelhas para Monta Natural e Inseminação Artificial bem-sucedida. Peso de corporal ideal e controle de parasitas. Valor na classificação de carcaças dos cordeiros e importância futura para indústria. Como criar reservas da alimentação para o estoque estratégico. Saúde animal: Identificar as ocorrências locais na sanidade animal. ”, descreve Izaltino. O palestrante pretende fechar a fala explanando sobre como promover ações no Brasil usando os modelos de produção da Nova Zelândia. Outro palestrante internacional esperado é o espanhol Prof. Dr. Carlos Sañudo Astiz da UNIZAR – Universidade de Zaragoza. Ele irá abordar o tema: Aceitabilidade da carne e de produtos cárneos - Um estudo com consumidores. Carlos é Professor Titular de Produção Animal e Etnologia na Faculdade de Veterinária da Universidade de Zaragoza (Espanha). Tem uma vasta experiência em projetos nacionais, locais e privados, especialmente relacionados ao gado de corte. “Ele apresentará algumas idéias pessoais sobre a problemática do Setor de Carnes a nível mundial e sob o ponto de vista europeu, para o horizonte de 2050. ”, revela Izaltino. O professor Izaltino fala que a pecuária de uma maneira geral, apresenta uma vocação natural nos Campos Gerais e a ovinocultura tem uma relevância de importância econômica e social, agregando os setores da economia local. "Portanto, requer o desenvolvimento de uma infra-estrutura para atender com eficiência a capacidade produtiva e a indústria de alimentos com segurança e qualidade. Para atingir este propósito, há necessidade do comprometimento dos segmentos de produção do agronegócio, levando-se em conta as tendências de mercado, da bioética e dos sistemas integrados.”, acredita Izaltino.



O que as lideranças pensam sobre o evento?


“Esse evento é essencial e tradicionalmente era realizado no Rio Grande do Sul. Ponta Grossa ser sede deste evento é muito importante, pois mostra a força da ovinocultura dos Campos Gerais. Isso também consolida o Paraná como um produtor de ovino e isso poderá ser visto com o Rally da Carne no 3º Encontro Mercadológico da Carne, mostrando propriedades que são referência na criação de ovinos e também de gado de corte. Já temos uma iniciativa da cadeia em Castro com a Castrolanda, em Piraí do Sul com a Apisco e agora em Ponta Grossa com a Coopergera. Estas ações demostram que a ovinocultura está se organizando e será um setor importante da economia para a região.", Presidente do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Gustavo Ribas Netto



“Quando fomos buscar esse evento no Rio Grande do Sul, esperávamos que conseguiríamos apenas a XXX Fenovinos, mas foi diferente e conseguimos também realizar a 1ª Fenovinos Paraná. Isso mostra que teremos uma ação maior do que esperávamos e o pessoal da Arco nos deu esse prazer de termos aqui na nossa região a 1ª Fenovinos. Isso fará com que o desenvolvimento da ovinocultura em nossa região aumente através da troca de experiência entre criadores e palestrantes internacionais para que possamos fomentar essa cadeia. ”, Secretário de Agricultura e Abastecimento de Ponta Grossa, Ivonei Afonso Vieira.



“Quando Izaltino nos apresentou a proposta ficamos um pouco receosos em assumir uma empreitada tão grande e importante. É um passo grande e importante para o fortalecimento da cadeia de ovinos, pois transformar um hobby, um gosto, em uma cadeia produtiva lucrativa não é fácil, mas estamos com a Coopergera para enfrentar essa batalha, unindo os criadores da região e ordenando este segmento. Desta forma, a Fenovinos é um encontro para iniciar este processo ouvindo, olhando e aprendendo com os melhores do país e do exterior. Por isso a importância das palestras internacionais e do 3º Encontro Mercadológico da Carne para mostrar o que se tem feito na região. Portanto, espero que o evento partilhe conhecimento sobre manejo, genética, padronização de carcaça e possa fazer com que a ovinocultura cresça no Paraná. ”, Presidente da Sociedade Rural dos Campos Gerais e Presidente da Coopergera, Edilson Gorte.


Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa