Criadores conhecem propriedades referência no Rally do Cordeiro


A proposta do Rally do Cordeiro é mostrar algumas tecnologias que podem ser utilizadas, visando melhorar a eficiência e sustentabilidade nos segmentos da agroindústria da carne ovina.

A XXX Fenovinos e I Fenovinos Paraná contou com a presença de cabanheiros de diversos estados e, durante uma semana, os criadores de ovinos, além de participarem de exposição, palestras, leilão, puderam visitar propriedades de referência nos Campos Gerais. Quem marcou presença no evento foi o maior criador de ovinos da Nova Zelândia e dono da One Stop Ram Shop, Robin Hilson. O palestrante abriu a feira e falou sobre o segmento da indústria da carne ovina daquele país e fez questionamento aos criadores. “Que tipo de animais vocês desejam para daqui 10, 20 anos? Nós fizemos esta pergunta no passado e corremos atrás de genética e padronização de carcaça e ganhamos uma boa fatia do mercado europeu.”, revelou Robin. Segundo o presidente da Coopergera (Cooperativa de Ovinos e Caprinos dos Campos Gerais) e um dos organizadores do evento, Edilson Gorte, o evento mostrou a força da ovinocultura na região, que possui um rebanho de 60 mil cabeças comerciais, sendo assim a maior criadora de ovinos do Paraná. “A Adapar registra que a região tem um rebanho de 60 mil cabeças, porém, acredito em números maiores, pois a cadeia de ovinos ainda não é estimulada e dirigida.”, revela Edilson. Segundo ele, a proposta da Fenovinos é fortalecer essa cadeia, triplicar nos próximos três anos a quantidade de animais e entrar no mercado internacional. “Acreditamos que em breve ficaremos como estado livre da febre aftosa sem vacinação e. com isso, as portas do mercado mundial se abrem para a carne ovina do Paraná. Portanto, estamos nos organizando para termos frigorífico e fábrica de ração para atender a cooperativa e fomentar a criação de ovinos aqui na região.”, espera Gorte.

Rally do Cordeiro - Outro coordenador do evento e gerente da Fazenda Escola da UEPG, professor Izaltino Cordeiro dos Santos, descreve que a feira é uma organização de raças trabalhadas na região. Estes animais são selecionados para realizar um melhoramento genético na região, com a finalidade de formar um rebanho comercial de cordeiros. Portanto, o rally é uma atividade para que os visitantes conheçam o manejo e as raças dos Campos Gerais. Os visitantes conheceram a Fazenda Modelo da Faculdade Cescage, em Ponta Grossa, e também a Cabanha Maré, no município de Castro. “No caso das visitas, o objetivo é mostrar o sistema de produção dando a condição de o produtor avaliar o que vem sendo realizado e, quem sabe, adaptar ou copiar as técnicas para a sua propriedade.”, explica Izaltino. No Cescage, segundo o professor, os visitantes conheceram diversas raças que estão sendo selecionadas e também as tecnologias de inseminação, coleta e transferência de embriões, fertilização in vitro (FIV), entre outras técnicas. “No Cescage informaram-se sobre diversas raças e visitaram um laboratório evoluído com biotecnologia de reprodução. Portanto, conheceram os protocolos, valores e sabem que isso pode ser viável.”, revela o professor. Em relação a Cabanha Maré, os visitantes conheceram uma criação intensificada com 1200 matrizes e o sistema cooperativismo da propriedade com a Cooperativa Castrolanda. “Os visitantes chegaram na época de partos e puderam fazer a avaliação das crias, progênies, o desempenho de ganho de peso e trocar experiência com a administradora.”, conta Izaltino.

O engenheiro agrônomo e diretor do departamento de agricultura da Prefeitura de Colombo, José Ribeiro Júnior, explica que trouxe produtores para conhecer a feira e participar do rally porque estão incentivando a cadeia no município. “A feira e o rally são uma oportunidade para conhecer toda a cadeia e o sistema de produção para aprendermos como alinhar a quantidade e um padrão de cordeiros para atender o mercado”, revela José Ribeiro. A proprietária da Cabanha Maré, Renata Jagerr, revela que abriu a propriedade para que os visitantes pudessem conhecer e trocar informações de como funciona seu trabalho. Durante o trajeto, ela interagiu com os visitantes explicando e respondendo perguntas. “Aqui eles conheceram nosso rebanho comercial e nosso confinamento focado na produção de cordeiros. Conheceram nosso barracão de recria onde temos as borregas recém desmamadas e que serão nossas futuras matrizes. Presenciaram vários partos e também o confinamento dos cordeiros.”, descreve Renata. Ela acredita que o rally e esta interação é importante para a cadeia de ovinos, pois os produtores conheceram diversas atividades realizadas que podem melhorar a produção de cordeiros nos Campos Gerais. II Fenovinos - A I Fenovinos Paraná realizou a eleição da cidade-sede da próxima edição da feira no estado e contou com representantes das cidades de Castro, Londrina e Teixeira Soares, além da comissão organizadora da Fenovinos e participantes da feira. Cada município teve quinze minutos para defender sua candidatura. Após as apresentações, por meio de votação, Teixeira Soares foi eleita como sede da II Fenovinos Paraná. A I Fenovinos foi uma realização da UEPG, Sociedade Rural, Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, ACIPG, Coopergera e Cescage e contou com o apoio do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Arco, Ovinopar, FAEP, SENAR, MAPA, CMRV E BRDE.


Veja o vídeo em que a Revista Mais Rural acompanhou o Rally.



Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa