Milho: queda internacional e avanço das colheitas limitam alta nos preços


O avanço na colheita da segunda safra brasileira e as quedas nos preços internacionais e na região dos portos frearam o ritmo de alta nos valores do milho em muitas praças acompanhadas pelo Cepea. Vale lembrar que, até então, a valorização nos portos vinha sustentando os preços domésticos. No geral, compradores consultados pelo Cepea estiveram mais ativos nas aquisições apenas no início da semana, no intuito de esperar uma maior entrada de lotes da segunda safra. Muitos também estão recebendo o milho negociado antecipadamente. Do lado vendedor, os recuos externos e do dólar reduziram o interesse em negociar lotes para exportação. No geral, esses agentes priorizam o cumprimento de contratos, atentos à paridade de exportação. Diante disso, as negociações têm sido pontuais. Na região de Campinas (SP), consumidores seguem relatando dificuldade logísticas e/ou atraso em algumas entregas. Entre 10 e 17 de julho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa fechou a R$ 49,43/saca de 60 kg na sexta, 17, queda de 1,5% em relação ao dia 10. Porém, no acumulado do mês, os preços ainda sobem 1,8%.

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa