Brasil revisa safras passadas de soja e oferta cresce 14,4 mi t, diz Conab

 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revisou nesta terça-feira os números brasileiros de sete safras de soja anteriores, um movimento bastante aguardado pelo mercado, que apontava inconsistências nas projeções de produção quando comparadas com dados de exportação e consumo.

A revisão nos números do maior produtor e exportador global da oleaginosa resultou em um aumento da oferta do Brasil de 14,4 milhões de toneladas no período revisado, de acordo com a estatal.

As últimas três safras concentraram as maiores revisões, que somaram 12,4 milhões de toneladas, incluindo 3,57 milhões de toneladas na última temporada, agora projetada em 124,46 milhões de toneladas.

A mudança foi anunciada em evento online para a divulgação dos números das perspectivas de safra 2020/21, com participação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e do presidente da Conab, Guilherme Bastos.

Segundo ele, a revisão no balanço de oferta e demanda de soja do Brasil foi realizada devido à incompatibilidades entre os volumes de exportação, consumo interno e oferta --enquanto o trabalho era realizado, a divulgação dos dados ficou suspensa nos últimos meses.

Para Bastos, o governo não tem problemas em revisar os números desde que eles façam sentido.

"O compromisso é com a qualidade da informação", ressaltou ele, um profissional que já teve atuação no setor privado e também em empresa de consultoria.

"Esse é realmente o grande 'turning point' (ponto de inflexão) da nossa equipe em termos olhar esse mercado... Por isso que o balanço de soja foi suspenso em janeiro, porque não havia espaço para estoques e produção para atender exportações e demanda por esmagamento", disse ele, à Reuters.

Bastos assumiu como presidente da Conab em fevereiro deste ano. Quando ele ocupava o cargo de diretor de Política Agrícola e Informações da estatal, antecipou à Reuters, em agosto de 2019, que a estatal estava "revisitando" os números.

Funcionários da Conab ressaltaram ainda que a revisão de dados contou com o apoio da ministra, que tem buscado melhorar as informações de inteligência de mercado no governo.

Embora tenha revisado os dados de safra, a Conab ainda não divulgou as informações de oferta e demanda de soja, o que deverá acontecer possivelmente em setembro, segundo a assessoria de imprensa da estatal.

Essa informações vão ser fundamentais para o mercado saber, por exemplo, qual será a oferta ao final de 2020, um ano em que os estoques estão mais enxutos devido à forte demanda externa e interna.

Please reload

Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa