No auge do desemprego no Brasil, nova plataforma para carreiras rurais é alternativa para empresas e profissionais

September 8, 2020

 

O Brasil encerrou o segundo trimestre de 2020 com a maior taxa de desemprego em três anos e redução recorde no número de pessoas ocupadas, como consequência das medidas de contenção da pandemia do novo coronavírus, que deixou 12,8 milhões de desempregados no período.

Entre abril e junho, a taxa de desemprego chegou a 13,3%, de 12,2% no primeiro trimestre. O resultado da Pnad Contínua divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) igualou a taxa do trimestre encerrado em maio de 2017 e mostrou ainda forte piora em relação aos 12,0% de desemprego no segundo trimestre de 2019.

As medidas de paralisação para conter a propagação do coronavírus em todo o país fecharam empresas e consequentemente provocou perdas generalizadas de vagas de trabalho.

Entre abril e junho, houve queda recorde de 9,6% no número de pessoas ocupadas na comparação com os três primeiros meses do ano, o que representa 8,876 milhões. Em relação ao mesmo período de 2019 o recuo foi de 10,7%.

Já o número de desempregados no Brasil chegou a 12,791 milhões, um recuo de 0,5% em relação ao primeiro trimestre e alta de 0,2% sobre o mesmo período do ano passado.

O AviSite foi conversar com Carlos Tetamanti, Sócio do portal Emprego Rural, o primeiro portal do Brasil especializado em carreiras do agro, para entender qual é a realidade da necessidade de qualificação profissional para uma sólida geração de empregos no campo.

O Emprego Rural foi idealizado com o objetivo de potencializar a empregabilidade dos trabalhadores do setor, sejam os de menor ou maior capacitação, que encontram dificuldades para se recolocar no mercado ou para descobrir novos desafios.

O site promove e facilita a aproximação deles com as áreas de recursos humanos de fazendas, agroindústrias, empresas comerciais e pequenas propriedades, gerando benefícios nas duas pontas.
Com uma visão abrangente sobre todos os elos da cadeia produtiva do agro, o Emprego Rural é também como um grande centro de aprendizado, oferecendo, através dos mais modernos mecanismos de Ensino à Distância, uma ampla gama de cursos online de aprimoramento técnico para as mais diferentes funções, além de aulas e palestras de adequação comportamental.

Na sequência, acompanhe a entrevista com Carlos Tetamanti:

Quais são os números atuais da situação de empregabilidade no
agronegócio brasileiro?
A agropecuária é o único setor de atividade econômica com resultados positivos em termos de geração de postos de trabalho em 2020. Em maio desse ano, houve um aumento de 15.993 vagas no setor. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano o saldo positivo no setor é de 25.430 vagas. Esse resultado é inferior ao mesmo período do ano passado, mas ligeiramente superior ao observado entre janeiro e maio de 2018.

O que o mercado busca atualmente?
Além da necessidade do preenchimento dos postos de trabalho com mais eficiência, e quando digo eficiência, são profissionais mais capacitados para iniciarem suas atividades sem a necessidade de um tempo muito grande para treinamentos internos. A capacitação por parte das empresas é continua, mas por conta da falta de conhecimento ou da oferta de capacitações específicas o tempo investido é muito grande.

Qual é o perfil do profissional que tem a maior demanda atualmente?
Por conta da alta da demanda e do crescimento projetado como consequência do aumento das exportações e do consumo, principalmente em tempos de pandemia, funções operacionais tiveram uma alta considerável mas perfis mais técnicos também estão sendo procurados. Não existe um equilíbrio pois, via de regra, vagas operacionais são mais volumosas.

Qual será o 'profissional do futuro' para o setor avícola?
O agronegócio e as agroindústrias são fundamentais para a economia do país, representando cerca de 21% do PIB brasileiro. Para que ele siga com toda essa pujança, novas tecnologias e técnicas estão sempre sendo inseridas, para melhorar a gestão das empresas, a produtividade e a margem de lucro.

Mas não é só a empresa rural que precisa mudar, os profissionais do agro devem se capacitar para agregar cada vez mais valor ao setor. Com tanta tecnologia, é preciso realizar a capacitação dos profissionais do agro, ou seja, aprimorar os conhecimentos técnicos dentro da sua respectiva profissão no agronegócio.

Os profissionais do agro necessitam de qualificação profissional e atualização constante para se aprimorar na profissão, ainda mais quando pensamos no futuro e nas mudanças que podemos esperar no agronegócio, principalmente com novas técnicas e tecnologias.

Para ser um bom profissional do agro, além de ter o conhecimento técnico, você precisa ter uma boa comunicação, visão estratégica, ser criativo e saber trabalhar em equipe, entre outros requisitos. E também se capacitar tecnicamente.
O agronegócio é um setor que está em crescimento e em constante modificação, principalmente pela inserção de tecnologias, portanto os profissionais precisam olhar as tendências e se ajustar.

Essas modificações e aprimoramentos também devem ser realizados com os profissionais do agro por meio de capacitações profissionais, sejam fornecidas pelas empresas mas principalmente por iniciativa própria. O segredo para o desenvolvimento de carreira, seja no agro ou em qualquer setor é o planejamento.
Assim, é preciso estar atento às mudanças que ocorrem no agronegócio e se capacitar.

De onde veio a ideia para o portal e aplicativo Emprego Rural?
Veio da observação da necessidade que o agronegócio tem em contratar e capacitar pessoas e da falta de uma ferramenta que entenda as necessidades específicas do agronegócio, falando a mesma linguagem e entregando uma solução centralizadora e dinâmica

Inovação é sempre tão falada. Quais foram as etapas para o lançamento do projeto?
Levantamento de necessidades, idealização do protótipo, desenvolvimento e atualização das soluções, testes de campo, parcerias com nomes importantes do segmento para avaliação do modelo e lançamento do portal. Mas não paramos por ai, pois entendendo o perfil dos nossos usuários e como o perfil da empresa é de inovação, mudamos ou ajustamos diariamente nossas soluções para que se adequem às necessidades apresentadas.

Como vocês veem as ferramentas digitais no agronegócio daqui em diante?
Já não é mais novidade que as tecnologias estão revolucionando o agronegócio: no campo, o produtor está cada vez mais conectado, incorporando soluções que profissionalizam os caminhos do seu negócio. Na outra ponta do processo, temos as empresas do setor que investem em softwares de gestão capazes de automatizarem as tarefas, economizando tempo e dinheiro, minimizando erros humanos e trazendo dados confiáveis que auxiliam na tomada de decisão.

A meu ver, toda e qualquer instituição – independentemente do segmento e do tamanho do empreendimento – deve apostar em Tecnologia da Informação (TI) em prol do seu crescimento e desenvolvimento. No setor agrícola essa necessidade é ainda mais importante, uma vez que os empresários lidam com grandes desafios na sua gestão e precisam de um planejamento estratégico, tático e operacional para interagir com o mercado.

Há um idealizador por trás do projeto? Quem é? Em caso afirmativo, o que ele pensa sobre o mundo das carreiras e do trabalho?
Sim, na verdade somos um grupo. Cada um teve a sua contribuição para que o Portal Emprego Rural chegasse até aqui. Desde a ideia de resolver o problema da busca de pessoas até as tecnologias envolvidas nisso foram importantes para que o projeto acontecesse. Sobre carreiras A busca por empregos também mudou, inclusive com a realização dos processos seletivos online. Mesmo com a redução em contratações e até demissões, existem carreiras que continuam contratando. Os profissionais também precisam se preparar para o mercado, e ficar atentos com os hard e soft skills.

Quais seriam as soft skills que vocês identificam com maior demanda?
Uma análise importante dos principais meios, de janeiro de 2020, apontou as cinco soft skills com maior demanda: criatividade, persuasão, colaboração, adaptabilidade, e inteligência emocional.

Você teria algumas dicas para os profissionais se manterem atualizados?
Nosso conselho é que os profissionais fiquem atentos a alguns pontos ou dicas para suas carreiras:
Dica 1 – Manter-se informado
Dica 2 – Buscar capacitação
Dica 3 – Fortalecer sua rede de contatos
Dica 4 – Ficar atento às oportunidades
E por fim, não deixar de acessar o Emprego Rural, pois lá além de oportunidades temos várias dicas em nosso blog.
Para mais informações, acesse www.empregorural.com.br.

Please reload

Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa