Atualização do NOAA mostra retorno das chuvas para o Paraná e formação de corredor de umidade no Cen


A nova atualização da Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA) intensifica as previsões do retorno da chuva para o Paraná a partir do dia 23 de Setembro. Para os próximos sete dias, os modelos seguem apontando o retorno gradual da umidade para o Centro-Oeste e chuvas mais volumosas para o Sudeste do Brasil.

De acordo com o modelo, no período entre 15 e 23 de setembro, as chuvas no Centro-Oeste do Brasil ainda devem acontecer de maneira pontual e com volumes baixos, mas já levando alívio para a condição de seca intensa que o produtor enfrenta em todos os estados que compõem a região central do Brasil. Para o Sudeste, o mapa indica condição de chuvas para o Rio de Janeiro e Minas Gerais, com volumes entre 40 e 50 mm.

Já no período entre 23 de setembro e 1º de Outubro, a formação do corredor de umidade vindo de Rondônia já fica mais evidente no mapa. Segundo o NOOA, a volta da chuva para o Paraná deve acontecer neste período, com volumes entre 60 e 70 milímetros. O produtor de soja aguarda pela chuva para iniciar o plantio da soja, autorizado desde o último dia 10, mas que não foi efetivado devido à seca intensa que atinge todo o estado.

As notícias também são mais positivas para o produtor do Mato Grosso do Sul, que tem tendência de novas chuvas. Para o Centro-Oeste, neste primeiro momento, os volumes mais expressivos são esperados para o norte do Mato Grosso, com precipitação entre 40 e 60 mm.

Queda rápida nas temperaturas

A terça-feira (15) amanheceu com temperaturas mais amenas no Sul e Sudeste do país. O avanço de uma massa de ar frio pela costa Leste do Brasil deve manter as temperaturas mais baixas nas próximas 24 horas. Segundo Heráclio Alves, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) o extremo sul do Rio Grande do Sul teve registro de geadas nesta madrugada, mas de maneira pontual e com intensidade fraca. O alívio no calor, no entanto, será rápido e as temperaturas devem voltar a subir já na quarta-feira (15) nas duas regiões.

Segundo o modelo de previsão de temperatura do Inmet, durante as próximas 24 horas as máximas no Rio Grande do Sul não devem ultrapassar os 20 graus. As temperaturas mais baixas são esperadas para o sul do estado, com máxima de 14 graus.

Em Santa Catarina a máxima mais elevada deve ser registrada no oeste do estado, entre 22 e 24 graus. No Paraná, a queda tende a ser menos intensa, com máximas previstas entre 26 e 28 graus no oeste do estado. Na última semana, todo estado do Paraná chegou a registrar temperaturas acima dos 30 graus.

A passagem do sistema pelo Sudeste do Brasil deverá ser muito rápida. Segundo o Inmet, as máximas mais elevadas são esperadas para o norte do estado, com temperaturas entre 30 e 32 graus. Já para as demais regiões, os termômetros não devem ultrapassar os 26 graus. Já para Minas Gerais, o modelo indica temperaturas entre 20 e 22 graus.

Já a região central do Brasil, tende a continuar com temperaturas acima dos 30 graus. Vale lembrar que nos últimos dias, áreas do Mato Grosso chegaram a registrar temperaturas acima dos 40ºC. Os modelos confirmam a tendência de passagem rápida do ar frio e a expectativa é que as temperaturas voltem a subir já na quarta-feira, dia 16.

Para os próximos dias, as condições de chuvas continuarão restritas apenas ao Rio Grande do Sul. Segundo o modelo Cosmo do Inmet, os volumes podem chegar a 30 mm na parte sul do estado. A tendência é que as chuvas cheguem também para o norte do estado.

Já em Santa Catarina, as previsões indicam condições de chuvas fracas e rápidas nas próximas 24 horas. Na quinta-feira, dia 17, a previsão indica chuva mais expressiva para Santa Catarina, com destaque para o leste do estado que deve receber os maiores volumes, entre 20 e 30 mm.

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 por Sindicato Rural de Ponta Grossa