Brasil deve importar o triplo do normal de milho em 2021 e preços internos serão pressionados.

Publicado em 27/07/2021


Analista aponta que Argentina e EUA entregam milho nos portos brasileiros entre R$ 90,00 e R$ 91,00; momento para o produtor brasileiro é de participar do mercado.

Normalmente o Brasil importa algo entre 1 e 1,3 milhão de toneladas de milho ao longo de um ano, mas em 2021 este volume deve saltar para 3,5 milhões de toneladas, de acordo com a avaliação do analista de mercado da Germinar Corretora, Roberto Carlos Rafael. Até o momento, os dados da Secex relatam 1,1 milhão de toneladas já importades no ano.

Entre os principais motivos para este movimento de importação estão o atual preço do milho no Brasil, superior à paridade de importação, e possíveis problemas com a qualidade dos grãos que serão colhidos nesta safrinha após os problemas climáticos enfrentados.

As contas de Rafael apontam que, neste momento, o milho da Argentina e dos Estados Unidos chega aos portos brasileiros entre R$ 90,00 e R$ 91,00, o que mesmo adicionado do frete, passa a compensar para indústrias que se localizam no Sul do Brasil e próximas aos portos.

Esse movimento deve atuar para pressionar os preços do cereal internamente, o que configura um cenário propício para a buscar de novas oportunidades de negociação por parte dos produtores, diz o analista.

O que poderia mudar este quadro seria uma possível elevação do dólar ante ao real ou problemas com a safra norte-americana, que elevariam os preços internacionais subindo novamente a paridade de importação.


Fonte: Notícias Agrícolas