Soja opera com altas de dois dígitos e volta aos US$ 13 no maio com clima adverso na América do Sul

Publicado em 17/12/2021

O mercado da soja deixou os ganhos tímidos de lado e voltou a subir expressivamente na Bolsa de Chicago na sessão desta sexta-feira (17). Os futuros do grão acompanham as altas fortes, mais uma vez, sendo registradas no farelo. Perto de 12h50 (Brasília), os futuros do derivado subiam mais de 2%, levando o contrato janeiro a US$ 379,60 por tonelada curta.

Desse modo, no mesmo momento, os preços da soja em grão subiam de 15,75 a 17,75 pontos nos principais contratos, com o janeiro sendo cotado a US$ 12,95, enquanto o maio e o julho já voltavam a operar na casa dos US$ 13,00 por bushel.

O mercado permanece muito atento ao clima na América do Sul e às previsões mostrando que os próximos dias ainda serão de pouca - ou nenhuma chuva - além de calor intenso em regiões já castigadas pelo clima adverso no sul da América do Sul.

A preocupação com a Argentina é a que mais reflete no farelo, bem como a demanda interna norte-americana mais aquecida.

No boletim diário do Commodity Weather Group é possível ver que os mapas seguem mostrando precipitações bem aquém da média em áreas importantes na produção de soja. E as condições deverão se manter assim até o final de dezembro.

O estresse hídrico, ainda de acordo com o CWG, deverá se intensificar e alcançar uma área ainda mais extensa no Paraguai e na Argentina. Em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta sexta-feira, a sócia da DASAgro Corretora & Consultora de Agronegócios, do Paraguai, relatou perdas que já chegam a dois milhões de toneladas no Paraguai, podendo ser ainda maiores.

A corretora explica que as lavouras plantadas mais cedo, ainda em setembro, são as que mais apresentam prejuízos de desenvolvimento. Já para aquelas áreas que foram semeadas entre o final de setembro e meados de outubro, ainda é possível haver recuperação, mas para isso terá que chover no prazo antes do Natal.

O mercado também encontra suporte nesta sexta-feira em um novo anúncio do USDA (Departamento de Agricultura dos Estadios Unidos) de vendas de 132 mil toneladas de soja em grão para a China e 33 mil de óleo para a Índia.


Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja

Fonte: Notícias Agrícolas

Siga-nos
  • Facebook Basic Square